ler mais...
05 Março 2010

Tenho criticado quase tudo o que rodeia o velho Festival RTP da Canção, na certeza de que quaisquer esforços que possam ser empreendidos pela estação pública para dotar a festa de um mínimo de sofisticação esbarram na absoluta mediocridade das canções. O mesmo acontece este ano: a primeira meia-final foi um pobre espectáculo – e tudo apontava então para que também a segunda meia-final (emitida já depois do fecho desta página) o fosse também.
Mas não – é justo reforçá-lo – por falta de empenho da RTP. Porque a produção deste ano não só suplanta o investimento da últimas edições, como o eleva a níveis de alguma imponência. Não estava tanta gente quanto isso no Campo Pequeno, mas a realização e a gestão do décor conseguiram transmitir uma imagem de grandeza. As infografias e os oráculos eram um tanto pobres, mas os guiões nem por isso. Sílvia Alberto não tirou qualquer coelho da cartola, mas foi competente. E só aquele belo genérico inicial (para além da transmissão integral em HD, claro) já justificava um elogio.
Só que as canções voltam a ser más – regra geral, aliás, muito más. Se a melodia tem algum interesse, falha a letra. Se a letra é tolerável, a orquestração é desastrosa. E, se a orquestração funciona, a interpretação revela-se foleira (a palavra é essa). Só assistir aos pequenos filmes de introdução dos cantores, na verdade, já nos transporta para o universo da chamada música “pimba”, tantas são a referências à astrologia, a Nicholas Sparks e a outros incontornáveis ícones da cultura ultra-light. A RTP já merecia outro tratamento por parte dos autores portugueses. Porque é que os nossos verdadeiros músicos não dão uma segunda oportunidade ao Festival?

CRÍTICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 5 de Março de 2010

publicado por JN às 23:39

pesquisar neste blog
 
joel neto

Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974. Publicou “O Terceiro Servo” (romance, 2000), "O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002), “Al-Jazeera, Meu Amor” (crónicas, 2003) e “José Mourinho, O Vencedor” (biografia, 2004). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista, tem trabalhado... (saber mais)
nas redes sociais

livros

"O Terceiro Servo",
ROMANCE,
Editorial Presença,
2000
saber mais...


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
saber mais...


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
saber mais...


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicaçõets Dom Quixote,
2004
saber mais...


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
saber mais...


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
saber mais...

arquivos
2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D